Chocolate – Mitos e verdades

Nesta época de Páscoa ficamos com “peso na consciência”, mas nada como uma boa analisada na questão do chocolate para podermos consumí-lo moderadamente e curtir mais uma Páscoa, este artigo da nutricionista Paula Maimoni Faria nos fornece boas informações, confira:

CHOCOLATE

Produto obtido a partir da mistura de derivados de cacau, massa (ou pasta) de cacau, cacau em pó e ou manteiga de cacau, com outros ingredientes, contendo, no mínimo, 25% (g/100g) de sólidos totais de cacau.
A composição precisa do chocolate varia em todo o mundo devido à diferença de gostos e legislação, que se preocupa com as porcentagens de cacau e sólidos do leite adicionais, quantidade e tipos de gorduras vegetais permitidas. As gorduras encontradas no chocolate incluem a manteiga de cacau, a gordura do leite e a gordura vegetal (MARTIN, 1994).
Atualmente, o consumidor vem mostrando cada vez mais preocupação em relação à sua alimentação. Pesquisas demonstram a importância da diminuição de ingestão de lipídeos e açúcares e da alta ingestão de proteínas e carboidratos complexos, bem como alertam quanto ao consumo indiscriminado de produtos que contem alcalóides, como a Teobromina, presente em sua maior parte nos chocolates e derivados (achocolatados, bebidas achocolatadas, biscoitos de chocolate, etc). Similarmente à cafeína e outros alcalóides, atua como estimulante do Sistema Nervoso Central e do músculo cardíaco. Seu consumo de leve a moderado pode melhorar o desempenho no trabalho e nos estudos, em contrapartida, a alta ingestão pode causar irritabilidade, insônia e distúrbios gastrointestinais.
Vivemos uma era de diversas pesquisas em volta do chocolate, há uma especulação de que dieta rica em polifenois (presentes no cacau) poderia proteger o sistema cardiovascular, devido à ação antioxidante direta e devido à ação anti-trombótica. O chocolate vem ganhando cada vez mais espaço na mídia, não só pelas suas apreciadas propriedades sensoriais, mas baseado em pesquisas científicas que sugerem alguns chocolates como potencial para contribuir beneficamente para a saúde quando consumidos moderadamente. Porém, é prematuro afirmar que esta evidência promissora é conclusiva e cuidados devem ser tomados para interpretar e representar devidamente esta informação (Schmitz, 2001).

Dica da Nutricionista: habitue-se a ler as informações nutricionais nos rótulos dos produtos industrializados, para melhor esclarecimentos do que vai ingerir.

Enquanto as pesquisas estão em andamento, vai uma receita deliciosa para a Páscoa, mas lembrem-se nada de exageros.

Ingredientes:
01 lata de doce de leite
01 lata de creme de leite
01 caixa de BIS

Modo de preparo:

Triturar o BIS, não bater no liquidificador, preferência triturar com o martelo de carne.
Misturar o creme de leite com o doce de leite e, por último, acrescentar o BIS triturado.
Mexer bem. Colocar para gelar.
Servir gelado.

Uma boa Páscoa a todos com a vontade de ter Cristo Ressucitado nos corações.

Comments

comments